BlogWe are ITX.
4 passos para você fazer um bom plano de continuidade de negócios (PCN)
24 Setembro, 2021

Com um bom Business Continuity planning, sua empresa pode sempre se reerguer após os momentos de crise

Todo negócio, seja pequeno, médio ou grande, passa por momentos de crise. Isso é natural do mercado e serve como parâmetro para analisarmos a capacidade de resistência que as empresas podem ter em momentos de adversidade.

Neste sentido, diversas organizações apostam no Plano de Continuidade de Negócios — ou Business Continuity Planning, em inglês — como uma alternativa para responder rapidamente aos cenários em que as dificuldades podem surgir.

Em nosso último artigo, você soube exatamente como o Business Continuity pode te prestar suporte nesses momentos. E hoje, a Intergalaxy preparou este material para te auxiliar a implementar um plano próprio, arquitetado conforme as necessidades da sua empresa.

Você quer saber mais sobre isso? Então continue lendo este texto com 4 passos para você fazer um bom plano de continuidade de negócios!

O que é um Plano de Continuidade de Negócios (PCN)?

Imagine que você sai para passear com um filho pequeno em um parque. Nesse parque, existem diversos brinquedos, outras crianças e adultos, e seu filho vai brincar no balanço. De repente, você ouve o choro e descobre que o pequeno acabou de cair do brinquedo e ralou o joelho.

Mas você estava preparado(a). Dentro da sua mochila, você tirou um curativo e logo estava limpando a ferida com um medicamento. Em alguns minutos, seu filho está brincando, dando risada e se divertindo no parque mais uma vez.

O que tudo isso tem a ver com o PCN?

Bom, agora, imagine que seu filho é uma empresa. Que o parque com brinquedos e pessoas é o mercado. Que a queda do pequeno é uma crise enfrentada pelo negócio. E que a sua mochila com os itens de emergência são o Plano de Continuidade que você desenvolveu antes mesmo de ir brincar no parque.

O Business Continuity serve para você medicar as feridas da sua empresa quando ela ralar o joelho. Independentemente do que esse joelho ralado signifique.

No ano de 2020, as empresas de todo o mundo foram pegas de surpresa por um balanço chamado Pandemia de Covid-19. Os negócios que carregavam em sua mochila um bom planejamento estratégico para gestão de crises, conseguiram sair com ferimentos bem menos graves de todo o caos causado pelo momento pandêmico. Diferentemente de milhões de outras empresas que, infelizmente, tiveram que fechar as suas portas para sempre.

Em suma, o plano de continuidade de negócios consiste em um processo de implementação de práticas, técnicas e planejamento que visa deixar uma empresa funcionando mesmo em momentos de crise, tudo isso sem causar danos ou com uma prejudicialidade aos negócios reduzida.

Para saber mais sobre como o PCN  funciona, leia o nosso último artigo.

4 passos para você criar um bom plano de continuidade de negócios

info-4-etapas-Convertido-01

Se você está no mundo dos negócios há um tempo, já deve ter em mente que não existe fórmula mágica para nada dentro deste universo. O que temos em mãos é uma série de direcionamentos que podemos tomar como norte nesse processo de empreender, se adaptar e reinventar a cada dia que se passa.

Aqui, separamos quais seriam os cinco principais passos para implementação de um plano de business continuity: objetivo, planejamento, treinamento e testes.

1. Objetivos

O primeiro momento é o que chamamos de "Anteprojeto do PCN". Essa é, sem dúvidas, a parte mais importante de todo o plano, apesar da insistência de muitas empresas em ignorar essa etapa e pular para as subsequentes.

Nela, iremos responder a uma série de perguntas para que possamos delimitar os principais objetivos do plano. Entre elas, você deve questionar:

  • O que proteger? — Quais processos, por ordem de prioridade, devem receber suporte em momentos de crise?
  • Do que proteger? — Que tipo de desastre pode ocorrer? Um ataque de um hacker? Um incêndio?
  • Com o que proteger? — Quais recursos serão utilizados para proteger os elementos listados nos passos anteriores?
  • Qual o grau de exposição? — Quanto os processos estão expostos a esses desastres?
  • Qual a estimativa de impacto que cada um dos desastres pode trazer?
  • Qual a estratégia de continuidade? — Como manter a capacidade produtiva caso um desastre ocorra?

Quando todos esses itens são ignorados, o Plano de Continuidade de negócios passa a ser pouco confiável, pois não atende a todas as necessidades reais da empresa. É praticamente impossível gerir uma crise sem prever todos esses tópicos listados acima.

2. Planejamento

Agora está na hora de documentar a sua estratégia em si. Um bom plano de continuidade possui, pelo menos, 3 itens essenciais:

  1. Plano de Gerenciamento de Crises (PGC);

Este documento tem como objetivo definir as responsabilidades de cada membro das equipes envolvidas com o plano.

  1. Plano de Continuidade Operacional (PCO);

Nele, estão os passos a serem seguidos para reduzir o tempo de indisponibilidade e os impactos potenciais ao negócio. 

  1. Plano de Recuperação de Desastres;

Neste último, estão descritos os planos de recuperação e restauração das funcionalidades dos ativos afetados que suportam os processos de negócio, a fim de restabelecer o ambiente e as condições originais de operação. 

3. Treinamento

Todo plano requer uma boa sequência de testes para que funcione da melhor forma possível quando for necessário pôr em prática. A fase de Treinamento pode ser feita utilizando de todos os meios já disponíveis na organização.

O envolvimento da área de treinamento da empresa é fundamental para que todos os funcionários, de alguma forma, sejam alcançados por esta etapa. Somente assim todos vão possuir informação sobre o Plano de Continuidade, facilitando na hora de implementar todas as práticas.

4. Testes

Logo que a equipe já está treinada, está na hora de colocar os testes em ação. Aqui, os Planos de Continuidade Operacional e Recuperação de Desastres, que listamos no item 2, devem ser priorizados, já que os fatores de tempo e recurso são sempre críticos.

Existem diversas formas de realizar testes de um plano de continuidade, que vão desde a leitura em conjunta dos procedimentos até  uma simulação completa envolvendo todos os funcionários.

Young-creative-designer-working-on-startup-business-in-his-office

Mas isso não acaba por aqui

A implementação de um plano de continuidade de negócios não é tão simples quanto um passo a passo na tela do seu computador. Ele exige muito estudo, testes, treinamentos e força de vontade para fazer acontecer.

Jamais esqueça de que um bom PCN deve ser atualizado continuamente, com base em análises reais do momento em que sua empresa está vivendo. É sempre importante estar atento a esses fatores, pois um plano sem atualização passa a ser obsoleto, ou seja, ineficaz na hora em que as crises chegam.

Quer estar sempre atento(a) às dicas sobre empreendedorismo? Então continue acessando nossos conteúdos no Blog da Intergalaxy e não esqueça de nos seguir em nossas redes sociais.


 

 

 

 

 


 


 

#ContinuidadeDeNegócios, #Continuidade, #BusinessContinuity, #WeAreITX